quinta-feira, 24 de julho de 2008

MAIS CLARICE


Adoro essa moça!
Desde que a vi pela primeira vez num DVD, com sua família - do qual falei aqui - tenho seguido de longe sua carreira. Mais "de longe", do que gostaria.
Nesse clip, a brasileiríssima Clarice Assad mostra "Alas", de seu mais recente CD, "Love, all that it is". Composição sua, arranjo seu, toca, canta (destaque para o "scat singing", improvisando em dueto com o piano), interpreta, tudo com personalidade única e original.
E, "last but not least", é linda, também...


Alas

6 comentários:

Andréa N. disse...

Nossa, acho ela uma graça também. A voz não me assombra, como por exemplo a da irmã Badi. (E R detesta quando um/a cantor/a de jazz começa a fazer scatting no meio da música, a não ser que seja Sarah Vaughan). Mas achei esse video divertido.

Já te falei da Nellie Mckay? Sempre acho que tu vai adorar o estilo dela. Manhattan Avenue é linda.
Aqui tem um video dela:
http://www.youtube.com/watch?v=r5NqWlnFBCE
(a voz dela às vezes me lembra a da Suzanne Vega).

*Que bom que tu deu as caras por aqui! Beijão.

Paulo de Tarso disse...

Com referência ao "scat", Dé, gosto muito também da Ella. Penso mesmo que é meio que uma marca registrada. Na verdade, Ella ou Sarah, difícil escolher entre gente desse nível. É que o timbre de E.F. tem uma doçura que me encanta.
Pra dizer a verdade também não gosto muito disso. Mas é que me impressiona demais, ver esses caras fazerem uma coisa tão difícil, como o scat, e ainda por cima dobrar com o instrumento. E fazem isso ao vivo, não é truque de estúdio não. Já acho fantástico o cara improvisar só com o instrumento e com o virtuosismo que eles têm. E acrescentar a voz me deixa meio estarrecido. O Pizarelli também faz isso muito bem. E o George Benson... Claro que deve haver técnicas para isso, além de muito estudo de escala, né?
Mas o R. tem razão: como resultado estético, a canção em si (não o Si, nota musical... hehehe) me emociona muito mais.

Voltando à Clarice, comprei o CD em MP3 num sítio chamado CD Baby (http://cdbaby.com/) onde existem muitos artistas independentes. Fiquei enlouquecido com tanta gente boa. Dá uma passada lá.
Vou ver a Nelly Mckay e depois a gente fala. Bjo.

Lica disse...

E não é que recebi mesmo uma visita sua no meu blog!!

O Labirinto Cultural (site, não o blog) foi o meu Trabalho de Conclusao de Curso de Jornalismo, a idéia era fazer uma revista eletrônica, mas os "mestres" não acharam essa idéia tãããão boa. Uma pena!

Li seus dois artigos sobre o Tom Waits. Ele é mesmo maravilhoso. Quando o ouvi no "Escafrando e.." tinha certeza que era ele. Fiquei até o final do letreiro para confirmar, mas não tem como errar, né? Ele é único!

By the way, vc viu "Sobre cafés e cigarros"? Ele contracena com Iggy Pop! Demais!!

Enfim...vc tb já está "linkado" no LC!! Volte mais vezes! :) Bjo gde

Anônimo disse...

Novo comentário na sua postagem : FAZER POESIA NÃO É PRA QUALQUER UM, NÃO!

=deyse disse...

Olá. De vez em quando entro no seu blog pra ver se tem algum post novo, pois já faz um tempinho desde o último. Você está escrevendo em algum outro lugar?

Até mais

Ps. Seu Post "Caminhos e Encruzilhadas" ainda me inspira.

Paulo de Tarso disse...

Oi, Deyse
Você não tem idéia de como é difícil pra mim não escrever no blog. Outro dia li uma entrevista do criador do WordPress, um garoto de 24 anos chamado Matt Mullenweg. O Wordpress é o serviço de hospedagem de blogs que mais cresce no mundo. O cara ficou rico , milionário, com isso. Mas, não como blogueiro e sim como empresário. E, na entrevista, ele diz uma coisa que é verdade e que talvez seja o motivo de tanto sucesso dele. Escrever em um blog deve ser um ato de paixão. Muita gente quer ganhar grana com isso; e alguns poucos até conseguem. Mas os melhores blogs são aqueles escritos por quem gosta.
Escrever aqui é alguma coisa muito importante pra mim; é um momento em que posso ficar em contato comigo mesmo. E isso é fundamental para o equilíbrio de qualquer pessoa. Quanto mais nos distanciamos de nós mesmos, mais nos tornamos infelizes.
Porém, neste ano, as responsabilidades e a necessidade de focar alguns setores, meio que me afastaram daqui ( e consequentemente, de mim mesmo). Bem, não estou infeliz não. Mas sinto uma falta danada de escrever.
Fico feliz que você tenha voltado. Esse tipo de "encontro" é uma das coisas mais gratificantes da vida virtual, que, aliás, é muito mais real do que dizem.
Tentei saber seu endereço, mas caiu em uma página de endereço desconhecido.
Como vai sua faculdade de publicidade? Há dois anos de sua "encruzilhada", como você está?
Escreva pra mim, no endereço cronicasagudas@gmail.com .
Aí a gente pode trocar mais figurinhas.
Um beijão e muito obrigado pela visita.