terça-feira, 10 de outubro de 2006

NOVIDADE NA IMPRENSA: PIAUÍ


Hoje foi lançada uma nova revista. Chama-se PIAUÍ, mas ninguém explicou porquê. Em matéria da Folha, ficamos sabendo que a publicação pertence à Videofilmes, dos irmãos Moreira Salles (Walter e João) que têm muito dinheiro, muito talento e muito bom gosto.
Tem um time respeitável de colaboradores: Ivan Lessa (ai que saudade do Pasquim), Angeli, Marcos Sá Corrêa, Mario Sergio Conti, Rubem Fonseca, Dorrit Harazim, Luiz Schwarcz (da Companhia das Letras), Eduardo Escorel e outros.
O que me chamou a atenção, na verdade - e que me fez ir comprar o número 1 - foram algumas declarações do João Salles sobre a nova publicação: ela não tem linha editorial definida (aliás, não tem editorial), nem posicionamento político. Não há restrições a temas, nem patrulhamento ideológico, para usar uma expressão já antiga. Isto é: liberdade total do texto e dos autores. Segundo ele, a revista quer apenas contar boas histórias com humor. Os textos devem ser "interesantes, bem escritos e divertidos".
Vi, nesse perfil, uma aragem de renovação. Lembrei do Pasquim, já citado acima, que tinha esse mesmo frescor e qualidade. Eu devorava o jornal, na minha adolescência, como todo mundo aliás fazia. Chegou a vender duzentos mil exemplares, o que na década de 70 era um fenômeno absurdo.
Os tempos são outros e as pessoas também. PIAUÍ não é o PASQUIM. Mas sinto cheiro de inteligência e vejo uma alternativa estimulante à grande imprensa. A conferir.
Pra conhecer melhor a revista e sua proposta, o melhor é comprar, mas outras informações estão aqui.

3 comentários:

M. disse...

Tenho amigos envolvidos na Piauí e estou curiosa pra ver o resultado. É sempre bom ter novos ventos soprando na imprensa, quase sempre capenga.

Paulo de Tarso disse...

Má...já estou com ela lá em casa.. é material farto. Depois de ler, trocamos umas figurinhas, né?

Andréa N. disse...

Também estou curiosíssima pra ler. Pedirei aos meus pais pra comprarem no aeroporto a caminho pra cá. Eles vêm visitar daqui a pouco. Eu tinha ouvido falar que o nome da revista, que na época estava pra ser lançada, se deve ao estado natal de um dos envolvidos na publicação, mas isso faz tempo e agora não lembro mais quem.

Obrigada pela dica do post da Alessandra, Paulo. Sou doida por música e não gostaria de ficar de fora daquele papo bom.