sábado, 2 de dezembro de 2006

FICA COMIGO!



F E C U N D O*

“De desejar-te, imaginei-me tu.

Sem perder consciência do meu arfar por ti,

percorro-me inquirindo-te em todo mim,

vejo-me, toco-me porque sou todo tu,

e amo-me em ti que me dás forma e vazas de mim em mim.”

ABGAR RENAULT



Tu me fecundaste com a tua vida.


Corres, vermelha, pelas minhas artérias.

Contrai-te, súbita, nas minhas fibras.

Brotas, límpida, dos meus olhos,

Rolas, líquida, por minha face.


Infla-te, lenta, quando inspiro...

Sais, a esmo, quando suspiro.

Corro...acelera tuas sístoles,

Deito...tu te aquietas.


Se penso, vens aderida...

Se sonho, vens à deriva.

Olho-me e vejo-te.

Toco-me e sinto tua meiga penugem.

Procuro-me...encontro a ti.


Tu me fecundaste com a tua vida...

No entanto, sinto o frio da morte.



*Escrito em janeiro de 1992.

10 comentários:

Saramar disse...

Meu querido, se você não é poeta, escrevendo versos como:

"Se penso, vens aderida...
Se sonho, vens à deriva."

então, quem será?

Que coisa maravilhosa!
Nem sei qual verso é mais perfeito, desde o primeiro, que é uma exaltação, além do amor.
Estou encantada!
beijos
P.S. Vou ler cada vírgula desse blog.

Paulo de Tarso disse...

Saramar...você deve ser uma pessoa muito doce e educada. Agradeço o carinho, de verdade.
A única coisa que posso dizer desse poema é que é fruto de uma dor genuína e profunda. Eu o escrevi em uma época em que a poesia era a única forma que eu encontrava de aliviar a dor, conforme você pôde ler no post que lhe enviei. Hoje, substituí o fazer poético pelos anti-depressivos e ansiolíticos, que não estão sujeitos à minha auto-crítica literária... :-)

Andréa N. disse...

Lindo demais. E doído, como vc disse. E tem que ser assim. Perfeito.

Lia Noronha disse...

Vida e morte/amor e ódio...são os opostos...se compeltando...sempre!
Adorei td por aqui nesta noite de Domingo.
Abraços carinhosos diretamnete do meu Cotidiano.

Paulo de Tarso disse...

Andréa... Lia...
Eros e Tanatos não se separam jamais...
Amar...morrer... morrer de amor...

Carlinha disse...

Paulo,
que delicia de resposta a tua.
Obrigada pela atenção e honra de fazer parte do teus "lugares bons de ir". Farei o mesmo e virei sempre, se me permite.

Abraços e boa semana!

PS: adoro poemas com um "quê" meio paradoxal, lindo este teu!

Saramar disse...

Você sim, é um amor de pessoa. Sua sensibilidade é prova disso.
Obrigada.

beijos

Edu disse...

Mesmo corrido, não poderia deixar de dar meu "pitaco"... Cara, eu adorei. Fiquei bestificado com tua escrita. E indo de carona no comment da Saramar,
Se penso, vens aderida...
Se sonho, vens à deriva.
me deixou perplexo...
Abração, com ou sem ansíolíticos são sempre bons.

Edu

=]

Paulo de Tarso disse...

Pô, Dudu
Resolve logo essas coisas de "somenos" importância, como por exemplo, dinheiro, e volta logo pra turma, meu.
Saudade! Abração!

Lia Noronha disse...

Vida e morte...tão opostas...e tão próximas!
Abraçso de boa noit epra vc.