segunda-feira, 21 de agosto de 2006

MONDAY, MONDAY

Não sou o Garfield, mas tenho algumas semelhanças com ele. Adoro lazanha, sou gordinho (tá bom...gordo) e sou um gato. Além disso, sou muito inteligente e meio convencido (deu pra perceber?). Meu filho me disse um dia: "Pô, pai, você é muito ´seachão´...! Não achei nem no Aurélio, nem no Houaiss, nem no antigo Caldas Aulete, o que possa vir a ser "seachão". Mas, entendi o neologismo e montei meu próprio verbete:

seachão - cf. "se achão". Adj. m. Diz-se da pessoa que se considera muito linda ou inteligente.
Convencido. Presumido. Presunçoso. Vaidoso.
"Ele era insuportável. Um
verdadeiro seachão." "Foi tão elogiado que virou um seachão".
Etimol. Formado pela contração do pronome "se" e do verbo "achar", + suf. aumentativo "ão", como
na expressão "Ele se achava o máximo" (Ele se sentia o máximo). Graf.
Encontrada também nas formas "se achão" e "siachão".


Porém, tenho pelo menos uma diferença com o gato. Detesto mais os domingos do que as segundas-feiras. Nada é pior do que as 18 horas do Domingo. Baixa um estado de espírito - ou baixa um espírito mesmo - tão depressivo que a segunda-feira acaba ficando com cara, não diria boa, mas suportável. Pelo menos, se a gente está vendo a segunda-feira é porque não se matou no domingo. Não conheço nenhuma estatística de suicídios, mas com certeza deve ter maior incidência neste dia, especialmente no período entre dezoito horas e o começo do Fantástico.
Se você conseguir superar essa horinha, pode acordar na segunda, pôr o CD dos "Mamas & Papas" pra tocar e cantar junto:

Monday, Monday, so good to me
Monday Monday, it was all I hoped it would be....

7 comentários:

Fê disse...

É, mas na verdade a Mama ou o Papa odeia essa música... vc sabe como termina, né? :)

Andréa N. disse...

Paulo, caramba, eu estava pensando exatamente sobre isso no domingo passado- eu ODEIO domingos. Acho as segundas bem mais faceis e suportaveis. No domingo eu luto, sinceramente, contra a depressao. Acho um porre. Parece que tem uma maquininha no meu cerebro que clica no domingo e me enche de angustia. Ate escrevi sobre isso, mas ainda nao publiquei. Qualquer hora...

Quanto ao "siachao", hehe, eu tenho uma amiga, que quando alguem da uma de "siachao" ela olha pra mim e solta: "esse, simple" (meaning: "esse se empolgou"). Sacou? :)

Paulo de Tarso disse...

Andréa
Faz tempo que eu percebi que sincronicidade não era uma brincadeirinha do Carlos Gustavo Jung. São impressionates certas conexões do inconsciente coletivo.
Quanto ao "simple" é ótimo. Posso adotar citando a fonte?... :-)

M. disse...

Paulo, eu encontrei, depois de muitos anos de angústia dominical, uma maneira de aliviar a deprê típica do dia. SEMPRE vou pra rua fazer algo bem divertido. Tomar um sorvete, assistir um filme leve, ir num show de música. E NUNCA, mas NUNCA mesmo, passo perto de ver a cara do Faustão ou de escutar a musiquinha do Fantástico. Ajuda bastante, garanto.

Andréa N. disse...

M. está certíssima. Todos contra a depressão do domingão, hehe.
Pode usar o "simple" à vontade, Paulo, deveria ser de domínio público, anyway.
Beijos solidários.

A Coisa! disse...

O tema é a depre do domingão, concordo com o que foi postado. Mas concordo mesmo com seu filho. Seachão! rsrs... Tem coisa melhor na vida que os filhos? Alegram até a depre do domingão!!

Tiago Chacon disse...

li a crônica monday monday.. de fato no horário do fantastico o número de infartos aumentam devido ao aumento do stress